Vamos proteger nossos homens: Por que existem leis que superprotegem as mulheres e desprezam os homens?

Por Adriana Nascimento

Por que a grande mídia só fala das mulheres como vítimas de violência doméstica e ignora os homens?

No vídeo abaixo, depreendemos que no Brasil é grande o número do que poderia ser chamado de “homicídios”. A morte de homens supera, de longe, as mortes violentas de mulheres, o chamado feminicídio.

Não se trata de ignorar as altas taxas de feminicídio, mas de comparar os índices com o que poderia ser chamado de “hominicídios”.

Mais de 50000 homens foram mortos em 2014, em contraste com a cifra de pouco mais de 4000 mulheres.

A palestrante no vídeo declara que a lei denominada de “feminicídio”, que alterou o artigo 121 do Código Penal, é uma lei injusta, posto que vitimiza somente as mulheres.

No Brasil, segundo a palestrante, é muito fácil uma mulher acusar um homem de estupro. Quando uma denúncia dessas acontece, o suspeito é logo preso, sem investigação minuciosa, como ocorre com outros crimes, e o seu destino pode ser a prisão, o estupro na prisão, a morte violenta ou o suicídio. É a gravidade dessa vitimização que deve ser chamada a atenção. Morrem muito mais homens do que mulheres neste imenso país de contrastes.

  • Total de 1.903 mulheres mortas por seus parceiros no Brasil, anualmente.
  • Total de 3.293 homens mortos por suas parceiras no Brasil, anualmente.

Fonte: Mapa de Violência do Brasil 2016

Assista ao vídeo e tire suas próprias conclusões.



Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.